SANTIAGO NO BRASIL

Nosso blog tem intuíto de mostrar o desenvolvimento dos estudos que estão sendo efetuados pelo Grupo de Estudos Santiago, da Associaçao Brasileira dos Amigos do Caminho de Santiago, sobre a presença e a influência de Santiago na cultura brasileira.

11/14/2006

Mazagão, no Amapá e na África







Olá Clinete

Consegui descobrir algumas fotos digitalizadas de Mazagão. Vou enviar
imagens reduzidas, mas tenho os originais com mais alta definição (cerca de
2,2 MB cada) e poderei enviar depois.
A Vila de Mazagão tem muito pouco para ver. Resume-se a um pequeno aglomerado de casas, com uma igreja e um pequeno largo onde estão os poucos monumentos. Penso que as fotos reflectem isso precisamente. Há um cemitério antigo que está sujeito a trabalhos arqueológicos, assim como uma pequena capela.
Decidi também enviar algumas fotos do trajecto entre Macapá e Mazagão. São de uma grande beleza e penso que poderá ser útil.
As fotos de Mazagão em Marrocos não estão em formato digital, e como tal terei de digitalizá-las. Mas a fortaleza é muito bonita, principalmente a Cisterna, que é a ex libris de El-Jadida o nome actual da cidade. Em termos informativos El-Jadida fica a cerca de 40 kms ao sul de Casablanca a capital económica de Marrocos.
A história de Mazagão é uma história linda. As principais razões para o abandono da fortaleza em terras marroquinas, têm a ver com os custos em meios materiais e humanos que essa permanência implicava, mas principalmente porque Portugal necessitava desesperadamente de pessoas para ocuparem a Amazónia, porque no século XVIII o direito de ocupação, prevalecia sobre o direito de descoberta. Eu acredito
que hoje a maior parte da Amazónia pertence ao Brasil, fruto da política
encetada pelo Marquês de Pombal.
A história interessou-me de tal forma, que decidi tentar escrever um livro de ficção, mas baseado nesse evento histórico. Por isso disponho de muita informação sobre este tema,inclusivamente dos nomes das pessoas que foram deslocadas, as ferramentas que receberam, as profissões, etc. Também tenho muita informação sobre o
forte em Marrocos, nomeadamente um diário que relata dia a dia o que foram
os últimos anos da permanência portuguesa em Marrocos.
Peço desculpa por esta mensagem tão sucinta, mas estou muito atrasado para
um encontro profissional. Poderei depois com mais tempo, e caso haja
interesse, em detalhar um pouco toda esta história.
Falando um pouco de mim. Sou português, vivo em Setúbal, uma cidade que fica
cerca de 40 kms ao sul de Lisboa. Sou engenheiro de formação, mas neste
momento trabalho como consultor em diversas áreas.
Fiz o Caminho de Santiago no passado mês de Outubro. Foi uma experiência maravilhosa, e que ainda precisa de ser “digerida”. Depois colocarei as minhas reflexões à disposição do grupo.

Um Abraço

Carlos Rocha

PS: As fotos estão um pouco saturadas, porque no dia em que lá estive o dia estava muito cinzento, com chuva e eu dei-lhes um tratamento posterior com o Photoshop.